Todas as Viagens >> Turismo Religioso >> Roménia e Bulgária

Detalhes da Viagem

( Sugestão de Itinerário )

 ROMÉNIA e BULGÁRIA

Incluindo visita ao Santuário Mariano de Csiksomlyò

Sofia, Rila, Plovdiv, Kanzanluk, Veliko Tornovo, Brasov, Bran, Sinaia, Bucareste

 

                                Receba de braços abertos os dois mais recentes membros da união europeia, berço de ancestrais civilizações. Deixe-se guiar – por quem sabe – através de rica e variada monumentalidade; por locais onde a fé se espalha nas obras e na arte; por locais onde a cultura popular criou personagens que a todos proporcionaram momentos de excitação, prazer e às vezes pesadelos; sítios e paisagens de grande romantismo, cidades incontornáveis como Sófia e Bucareste – tão diferentes mas tão ricas.

Não Perca esta “outra Europa” ainda envolta em exotismo, cada vez mais raro.

 

1º Dia – Local de Partida / Sofia

A hora e em local a indicar comparência no aeroporto. Assistência nas formalidades de embarque, prestada por um delegado da Paxtur, e partida em voo com destino a Sofia, mudando de avião numa cidade a designar, Refeição ligeira a bordo. Chegada, desembarque, encontro com o guia, assistência nas formalidades de desembarque e transporte privativo ao hotel. Instalação, breve ceia. Alojamento.

2º Dia – Sofia / Rila / Sofia

Após o pequeno-almoço no hotel, saída para visita ao Mosteiro de S. João de Rila, classificado como Património da Humanidade pela UNESCO. Situado a noroeste dos montes Rila, a 177 km a sul de Sófia, no vale do rio Rilska, a uma altitude de 1.147 metros, foi fundado em 927, pelo eremita João de Rila (Ivan Rilski) começando a ser local de recolhimento de vários famosos eremitas. No ano de 1335 houve a necessidade de ser deslocado cerca de três quilómetros e assim foi de novo erguido no local onde o encontramos nos dias de hoje. A torre, anexa à igreja, é o único elemento que permanece desse período. O mosteiro foi consumido por um grande incêndio em 1833, tendo sido prontamente restaurado numa versão nacional e grandiosa do estilo renascentista. A sua magnifica Igreja, com três enormes cúpulas, exibe 1200 frescos que representam benfeitores e figuras bíblicas. O mosteiro é considerado o maior tesouro cultural, histórico e arquitectónico da Bulgária, e uma das atracções turísticas e culturais de toda a Europa balcânica. Almoço. De tarde regresso a Sofia. Visita do Museu Nacional de História, seguida de panorâmica, sendo parte do passeio a pé, incluindo a Catedral de Alexander Nevski. À noite, jantar com espectáculo de folclore e panorâmica nocturna da cidade iluminada. Alojamento.

3º Dia – Sofia / Plovdiv – 180 km

Pequeno-almoço no hotel. Saída em autocarro em direcção a Plovdiv. Almoço em restaurante local. Plovdiv, uma cidade com muitos séculos com uma história muito rica (mais antiga que Roma, Atenas ou Constantinopla). Ao longo da sua existência, teve vários nomes: Kendros, Eumolpia, Philippopolis. Pulpuveda, Trimontsium, Pulden, Populdin e Filibe. Ao longo dos anos muitos foram os monumentos acrescentados ao seu património. Um dos mais antigos, mas também dos mais bonitos é o antigo Teatro Romano. Mandado construir pelo imperador Marco Aurélio durante o Século II é o mais bem preservado monumento do legado romano em toda a Bulgária, sendo ainda hoje utilizado, em diversos espectáculos de teatro, canto e dança. Pode ser visto em todo o seu esplendor nas horas que antecedem o pôr-do-sol. Após o almoço, visita panorâmica de Plovdid, passando pela parte antiga, situada entre três colinas: Bounardzhika, Nebbet e Sahat Tepe. Aqui podemos admirar casas em estilo renascentista (bem como antigas ruínas), onde a influência dos estilos arquitectónicos Europeus, podem ser observados. Visitaremos, também, o Teatro Romano e a Igreja Constantin e Elena. Alojamento e jantar.

4ºDia – Plovdiv / Kanzanluk / Veliko Tornovo – 214 km

Após o pequeno-almoço no hotel saída para Veliko Tornovo, via Kanzalak, o famoso Vale das Rosas. Visita ao Museu Histórico e Arqueológico. Almoço. De tarde visita de Golyama Kosmatka Thracian – túmulo original do rei Seuthus III, considerado pelos arqueológicos um dos maiores tesouros do período helenístico. Continuação para Shipka, onde os exércitos Russo e Turco escreveram uma página sangrenta da sua história e breve visita à Igreja Ortodoxa Russa. Atravessando uma passagem na cordilheira dos Balcãs seguimos para Veliko Tornovo, a capital medieval da Bulgária. À chegada visita ao Castelo Real situado na colina Tsarevets. Transporte ao hotel. Instalação, jantar e alojamento.

5º Dia – Veliko Tornovo / Brasov – 270 km

Pequeno-almoço no hotel e partida para Ruse, cidade fronteiriça. Durante esta etapa visitaremos o Mosteiro de rocha de Ivanovo. Almoço, cumprimento das formalidades de fronteira Ruse-Giurgiu, cruzando a única ponte sobre o Danúbio que une os dois países. Mudança de autopullman (e guia) e prosseguimento do tour. Continuação da viagem para Brasov, na província da Transilvânia, uma das mais antigas e importantes cidades da Roménia. Com todo o seu encanto medieval e fascinante passado histórico, nela poderemos apreciar os resplandecentes estilos Gótico, Barroco e Renascentista. Situada na intersecção das rotas comerciais que ligavam o Império Otomano ao Oeste da Europa, a cidade atraía os Saxões, pela localização e pela isenção de algumas taxas, tendo estes conseguido grande riqueza e influência política, que se reflectiu até no nome da cidade, conhecida como Kronstadt. Faremos um pequeno passeio a pé pelo centro histórico de Brasov admirando alguns dos principais monumentos, tais como a antiga Câmara Municipal (Piata Sfatului) de colorido estilo barroco, a Igreja de São Nicolau e a Igreja Negra (Biserica Neagra) – uma das maiores igrejas góticas e a maior da Roménia (chamada de “Negra” porque resistiu ao fogo devastador de 1689). O interior é impressionante e extremamente bem preservado e o “Grande Órgão” um dos maiores da Roménia, com 4.000 tubos. Depois viagem até Miercurea-Ciuc, para visita ao Santuário da Virgem Maria de Csiksomlyò. Construído em 1440, tornou-se desde então ponto difusor do culto mariano e fulcro da defesa da fé católica. Destruído durante a sua história, sempre a imagem da virgem foi preservada e sempre foi reconstruído sendo ponto de milhares de peregrinações, a maior das quais na vigília de Pentecostes na qual, mais de 80.000 peregrinos acorrem ao Santuário. Instalação, jantar e alojamento no hotel.

6º Dia – Brasov / Bran / Sinaia / Bucareste – 180 km

Pequeno-almoço no hotel e partida para Bran, a cerca de 40 quilómetros, podendo assim admirar o maravilhoso castelo, encravado na floresta aos pés dos Cárpatos, mais conhecido com o Castelo de Drácula. Este castelo é, do ponto de vista arquitectónico, um dos monumentos mais valiosos, com funções militares e económicas específicas. A ligação “turística” entre os “caçadores de vampiros” e o Rei Vlad deve ser vista como mais ligada à dureza dos castigos que aplicava, do que aos vampiros. O Castelo está situado na “Passagem de Bran”, um estreito caminho na montanha de Bran, que separa a Saxónia da Transilvânia. Foi nesta admirável construção, do séc. XIV, que viveu o príncipe Vlad Tepes, inspirador da mítica personagem do Drácula. Almoço. Prosseguimento para sul em direcção a Sinaia, uma conhecida estância de férias da elite romena, que conheceu o seu maior desenvolvimento quando o Rei Carol I a elegeu como residência de verão, no ano de 1870, mandando construir o Castelo de Peles, a mais famosa residência real na Roménia, tendo sido obra do arquitecto alemão Wilhel Dodderen e, por isso, exibindo na arquitectura exterior os elementos característicos de neo-renascimento germânico. Admiraremos ainda o Mosteiro de Sinaia, construído nos finais do séc. XVII por Mikhail Cantacuzino aquando do regresso deste da viagem ao Monte Sinai (Egipto). Impressionado com o que viu e sentiu na Terra Santa, e no Mosteiro dedicado a Santa Catarina, dali também retirou a inspiração para o nome do Mosteiro e da cidade. Após as visitas atravessamos as belas montanhas dos Cárpatos cobertas de florestas seculares e chegamos a Bucareste. Jantar e Alojamento.

7ºDia – Bucareste

Pequeno-almoço no hotel. Depois, saída para visita panorâmica da cidade que é a capital romena desde o séc. XIX. A cidade, a que também se chamou “Pequena Paris”, é conhecida desde os anos de 1900 pelos seus grandes “Boulevards”, as avenidas de três faixas, os edifícios da gloriosa “Belle Époque” e pelo fausto da “alta sociedade” da época. A lenda diz que foi fundada nas margens do Rio Dambovita por um pescador chamado Bucur, nome este que significa “alegria”. A música da sua flauta que a todos deslumbrava, e o vinho forte das vinhas próximas, encantavam todos passando a ser tão estimado pelos comerciantes locais que estes deram o seu nome ao lugar. Admiraremos alguns dos principais monumentos, praças e avenidas como o Museu da Música (o edifício mais bonito da cidade), o Palácio Real, o Atenaeum (a sala de concertos da Roménia), a Biblioteca Pública, o antigo Quartel-general do Partido Comunista, o Palácio da Corte, o Parlamento, o Hospital de Coltea (o primeiro de Bucareste) e a Praça da Universidade, símbolo da Revolução de 1989. Bucareste também tem seu Arco do Triunfo, criado em homenagem aos soldados romenos que lutaram da Primeira Guerra Mundial. A obra tem 85 metros de altura, com esculturas decorativas criadas por famosos artistas romenos. Almoço. De tarde visita ao Museu da Aldeia, local onde se encontram representações de cerca de 300 casas, igrejas e outras estruturas rústicas provenientes de todas as regiões romenas – e ao Palácio do Parlamento, construção gigantesca – com 6.000 divisões e 350 mil metros quadrados – a segunda maior, do género, depois do Pentágono em Washington. Regresso ao hotel. Jantar e alojamento.

8º Dia – Bucareste / Local de Partida

Pequeno-almoço no hotel. Pela manhã, acompanhados pelo guia local, sairemos para um passeio a pé pelo centro da cidade, podendo assim admirar, com mais pormenor, a Calea Victoriei (Rua da Vitória), a rua mais antiga de Bucareste, construída no século XVII originalmente com vigas de carvalho. Nela encontraremos os edifícios mais impressionantes do local, incluindo Palatul Cantacuzino e o Museu de História Nacional, um prédio com arquitectura antiga preservado até aos dias de hoje. Almoço. Em hora a indicar localmente transporte ao aeroporto. Cumprimento das formalidades de embarque e partida em voo de carreira regular, com destino a Portugal, com mudança de avião numa cidade a designar.

 Fim da viagem e dos nossos serviços

 

Mínimo de 26 participantes

 

Pretendo obter informações para organizar viagem de grupo em itinerário idêntico